Theo Van Doesburg (1883-1931)

Em 30 de Agosto de 1883 nasceu em Utrecht (Holanda) Theo van Doesburg, artista plástico, designer gráfico e arquiteto. O seu nome encontra-se particularmente ligado ao aparecimento do Neoplasticismo ou "De Stijl" ("O Estilo"). Esta corrente artística que se desenvolveu a partir de 1917 e da qual também fizeram parte Piet Mondrian e diversos arquitetos, pintores e escultores, foi o mais puro dos movimentos abstratos e um dos grandes marcos da arte moderna.
Van Doesburg viria a fundar a revista "De Stijl" que serviu de suporte teórico às propostas plásticas do grupo as quais consistiam, resumidamente, na redução da pintura a formas rigorosamente abstratas e geométricas: uma rede ortogonal de linhas que, no seu encontro, formam quadrados e retângulos preenchidos com cores puras e lisas - amarelo, azul e vermelho e, ainda, o preto e o branco.
O auge do movimento foi entre 1921 e 1925, quando Van Doesburg viajou pela Europa, fazendo conferências e palestras para dar a conhecer as suas teorias, tendo tido especial aceitação por parte dos mestres da famosa escola alemã de desenho industrial, a Bauhaus, aonde Van Doesburg chegou a lecionar.
A partir de 1924 o contato com o Suprematismo e o Construtivismo russos levou-o a repudiar as composições neoplasticistas por achá-las estáticas e inadequadas para exprimirem o dinamismo da vida moderna. Como alternativa, elaborou a contra composição, a qual, de um ponto de vista formal, se caracterizou pela substituição das linhas verticais e horizontais, típicas do Neoplasticismo, por uma teia de linhas diagonais. Chegou mesmo a afirmar-se que este processo teria como objetivo irritar Piet Mondrian e, o que é certo, é que as relações entre os dois artistas se romperam a partir de então.

Van Doesburg e os neoplasticistas em geral, tiveram uma extrema importância na arte do séc. XX quer pelas experiências que realizaram, no sentido de exprimirem a realidade apenas pelo equilíbrio do movimento dinâmico da forma e da cor, quer pela influência que exerceram no nível da renovação da arquitetura e do design modernos.


Autor: Theo Van Doesburg
Obra: Composition
Ano: 1917
Localização: Museu de Arte Moderna de Nova York
Dimensões: 23 1/2 x 16 1/2" (59.8 x 41.9 cm)
Técnica: Charcoal on paper
Movimento: Abstracionismo – Concretismo



 Autor: Theo Van Doesburg
Obra: Composition (The Cow)
Ano: 1917
Localização: Museu de Arte Moderna de Nova York
Dimensões: 15 5/8 x 22 3/4" (39.7 x 57.7 cm)
Técnica: Gouache, oil, and charcoal on paper
Movimento: Abstracionismo – Concretismo



Autor: Theo Van Doesburg
Obra: Seven studies for the painting Rhythm of a Russian Dance
Ano: 1917-18
Localização: Museu de Arte Moderna de Nova York
Dimensões: 3 1/4 x 2 5/8" (8 x 6.4 cm)
Técnica: Pencil and ink on paper
Movimento: Abstracionismo – Concretismo



 Autor: Theo Van Doesburg
Obra: Rhythm of a Russian Dance
Ano: 1917-18
Localização: Museu de Arte Moderna de Nova York
Dimensões: 53 1/2 x 24 1/4" (135.9 x 61.6 cm)
Técnica: óleo sobre tela
Movimento: Abstracionismo – Concretismo



Autor: Theo Van Doesburg
Obra: Composition VIII (The Cow)
Ano: 1918
Localização: Museu de Arte Moderna de Nova York
Dimensões: 14 3/4 x 25" (37.5 x 63.5 cm)
Técnica: óleo sobre tela
Movimento: Abstracionismo – Concretismo



Autor: Theo Van Doesburg
Obra: Study for a Composition
Ano: 1923
Localização: Museu de Arte Moderna de Nova York
Dimensões: 11 5/8 x 9 5/8" (29.5 x 24.5 cm)
Técnica: Gouache and ink on tissue paper and pen and ink on paper
Movimento: Abstracionismo – Concretismo



Autor: Theo Van Doesburg
Obra: Contra-Construction Project, Axonometric
Ano: 1923
Localização: Museu de Arte Moderna de Nova York
Dimensões: 22 1/2 x 22 1/2" (57.2 x 57.2 cm)
Técnica: Gouache on lithograph
Movimento: Abstracionismo – Concretismo


Autor: Theo Van Doesburg
Obra: Composition II (Still Life)
Ano: 1916
Localização: Museu Thyssen-Bornemisza
Dimensões: 45 × 32 cm
Técnica: Óleo sobre tela
Movimento: Abstracionismo – Concretismo






0 comentários: